Mudanças Abruptas

Análise Semanal Ibovespa

03/09/2012 a 06/09/2012

 

Nova palavra chave do governo: "competividade". Pelo menos foi o que anunciou nessa quinta-feira à noite, em pronunciamento oficial, a presidente Dilma. Que bom, pelo menos quem sabe o setor público entre na batalha da eficiência de vez. A redução da conta de luz em 16% para uso doméstico e 28% para industrial também é uma boa medida. Mas há dois riscos:

(1) A produção aumentar e o consumo não corresponder.

(2) O gargalo de produção de energia elétrica.

Produzir energia elétrica pela malha brasileira precisa de tempo. Muito tempo para a construção de novas usinas. Se o consumo aumentar demais, podemos ter apagões em série. Com obras sendo embargadas pela justiça o tempo todo, esse tempo de término das construções pode se arrastar mais do que a presidente deseja.

E se as pessoas comuns podem usar mais energia, outro perigo se espreita. A famigerada inflação. Talvez por isso o Banco Central deu a entender nas entrelinhas que agora a redução dos juros deverá ser mais cautelosa.

Cautela aliás que Draghi, presidente do Banco Central Europeu não teve, ao contar o segredo para os especuladores. Eles vão atacar o mel o tempo todo, como abelhas. Dizer que o BCE pode comprar títulos sem limites vai fazer os especuladores testarem o poder de fogo. Foi assim que George Soros venceu a libra esterlina em 1992/1993 e foi assim que em 1998, toda semana o governo brasileiro tentava segurar os especuladores.

Claro que o mercado gostou, mas essa é apenas uma cópia ou cola do quantitative easing do FED (EUA). O cerne da questão é, e o emprego? A Espanha novamente teve sua taxa de desemprego aumentada, a mais alta da Europa. Não será comprando papéis que os empregos voltarão. É um erro achar que essa compra vai desafogar os endividados. Eles vão se endividar mais.

E na quinta-feira, o FED poderá ou não anunciar o tão esperado QE3, ou quantitative easing 3. É o que o mercado deseja, e que talvez Ben Bernanke faça. Isso é bom? Não, como já mostrei em textos no ste. No primeiro momento os mercados crescem e tendem a se animar. Mas quando se cansam, a queda vem mais rápida e forte do que antes. Também nos EUA o problema é o desemprego.

E enquanto a guerra presidencial nos EUA não termina, os mercados vão se agirar com os "chefões" dos bancos centrais. O plano brasileiro de redução dos impostos e preços da energia elétrica é interessante, mas a presidente se equivoca ao dizer que o Brasil está forte. Quando a crise se agravar, não teremos para quem vender os produtos, mesmo sendo baratos. A Europa não vai comprar produtos brasileiros e o grande comprador ainda será a China. E se ela parar....

O IMA-entrada diário continua em 0,70 nessa semana.Os estrangeiros estão voltando, conforme nosso monitor nos informa toda semana. Somente nessa semana a mídia acordou para a volta dos estrangeiros na Bovespa. Se você acompanha nosso monitor, já sabia disso bem antes. E sabe também saberá antes, que podemos ter problemas, quando eles se forem. Acompanhe nosso monitor gráfico de estrangeiros na "aba" estrangeiros.

IMA crash = 0,0

IMA entrada = 0,70

 

 

A linha vermelha é a análise da transformada wavelet do Ibovespa para o nível de estresse e possível crash (quedas abruptas mas a nível de 15 minutos) e o gráfico em azul é a transformada wavelet para o nível de entrada no mercado

Na última análise de 31/08/2012 foi dito:" ... O IMA-entrada começou a declinar e na segunda-feira os mercados mundiais devem subir. A especulação é (não se sabe nunca se é verdade) a respeito de uma atuação mais forte do Banco Central Europeu. Isso deve dar um "boost" e animar os investidores. Com isso o IMA-crash deve voltar a aparecer ainda antes do feriado de 7 de Setembro. ... Quem está fora, segunda-feira ainda é um bom momento de compra, mas não para segurar um papel por muito tempo. Talvez um ou dois dias depois seja melhor vender, principalmente antes das viagens de feriadão".

Os mercados subiram muito pouco na segunda e caíram pouco na terça-feira e quarta-feira. Com a prévia do anúncio do Banco Europeu, a Bovespa começou a pisar forte no final da tarde de quarta-feira. E na quinta-feira, as bolsas mundiais dispararam em otimismo forte. E como alertei, o IMA-crash realmente voltou. Terminou essa quinta-feira em 0,22, com queda do IMA-entrada para 0,23.

Na segunda-feira os mercados vão continuar subindo e o IMA-crash deverá acelerar sua alta. Na terça-feira à tarde, ou quarta-feira pela manhã os mercados vão virar. Se o IMA-crash bater próximo de um, poderá ser uma queda muito mais acentuada. O que poderá concordar com algumas palavras indigestas de Ben Bernanke do FED na quinta-feira. IMA-crash alto com Ben Bernanke, não é uma boa combinação.

Quem está comprado, segurar e vender na segunda a tarde pode ser um bom negócio. Quem está de fora, estará cada hora mais arriscado de comprar na segunda-feira.

 

 

 

 

FATOS RELEVANTES POSITIVOS

Governo aumenta imposto de importação.

Usiminas tem alta de 18% an quinta-feira

CCE é comprada por chinesa Lenovo

Banco Central Europeu comprará títulos de endividados sem limites.

Cai pedido de seguro-desemprego nos EUA

Luz vai ficar 16% mais barata

FATOS RELEVANTES NEGATIVOS

Produção de petróleo no Brasil cai 2,6% em Julho.

Ações da Rossi caíram 8% na quarta-feira e mais 7% na quinta-feira, com rumores de nova oferta de ações.

Bancários talvez entrem em greve no dia 18 de Setembro.

 

 

PRÓXIMA SEMANA

Reunião do FED na quinta-feira (Banco Central dos EUA)

Possível quantitative easing 3.

dias observação 829

Eventos(sinais de alerta de crash)

54
Acertos 46 (85,1%)
Falsos Alarmes 08 (14,9%)
Queda média -2,57%
Queda máxima -6,73%
Queda mínima -0,08%
Valorização média nos falsos alertas +1,46%
Valorização máxima nos falsos alarmes +2,3%
Valorização mínima nos falsos alarmes +0,2%
Tempo médio até o mínimo valor após o sinal de alerta 2,68 dias
Tempo máximo até o mínimo valor após o sinal de alerta 7,27 dias
Tempo mínimo até o mínimo valor após o sinal de alerta 30 minutos