Mudanças Abruptas

Análise Semanal Ibovespa

08/09/2015 a 11/09/2015

 

Semana tensa na economia brasileira devido ao rebaixamento na nota de crédito do páis pela Standard & Poor's. Esse rebaixamento significa que empréstimos do país junto à bancos internacionais, podem sofrer com juros mais altos, se esses estiverem atrelados a essa nota.

Como efeito cascata veio o rebaixamento da nota de diversas empresas brasileiras, algumas empresas bem sólidas tais como Itáu e Bradesco, entre os maiores bancos da América Latina.

E isso suscinta novamente aquela velha disussão sobre a seriedade dessa empresa com o tal "selo de qualidade". Seria realmente o Itáu um "mau pagador" sujeito a dar calote nos investidores? Muito estranho. Ou ainda, seria realmente o Banco do Brasil um banco perigoso para o investidor?

Claro que a imprensa nem mesmo entra nesse campo de discussão, privando o leitor ou telespectador dessas comparações e dessas explicações. A grande imprensa apenas rotula o termo "selo de bom pagador", ou ainda "calote do Brasil", mas não explica quem é a S&Poor's.

Por exemplo, não explica e nem divulga que a S&Poor's pagou ao governo dos EUA US$ 1,5 bilhão em fevereiro desse ano, para terminar o processo movido contra ela como responsável pela crise de 2008. O governo dos EUA entrou na justiça em 2013 contra a S&Poor's por falsos relatórios contra o país, contra notas à imprensa bastante nocivas e sem apoio científico nenhum.

Os danos cobrados eram de US$ 5 bilhões, e a S&Poor's pagou US$1 ,5 bilhão, o que saiu barato pra ela. Então, uma empresa que assume esse erro enorme, deve ser confiável para emitir nota sobre empresas como Itaú e Bradesco, rotulando esses bancos de "mau pagador" ? Estranho.

Isso não significa dizer que a situação da finança brasileira está boa, ou que estamos apenas sendo perseguidos por uma empresa de má conduta. A situação se deteriora por conta do marasmo político e da guerra pelo poder que existe dentro e fora do governo. Todos os políticos continuam pensando em si, nas suas emendas, no seu próprio umbigo e não em resolver o problema em que eles nos meteram.

Quem está começando a ficar em maus lençóis é a Alemanha. Angela Merkel diz que poderá receber até 500 mil refugiados. A onda agora se encaminha para a Alemanha, mas dentro do país já se questiona a que custo essa ajuda humanitária se dará.

Até o meio da semana, os EUA estavam se fazendo de "surdo" no meio de toda a confusão com os refugiados. Apenas na quinta-feira o presidente Obama solicitou ao Congresso dos EUA autorização para receber 10 mil refugiados. Em 4 anos os EUA recebeu apenas 1.500 refugiados sírios, o que é muito pouco para quem está ligado diretamente à destruição do país.

A China já enterrou bilhões de dolares para segurar a queda na bolsa de Xangai. Não se sabe o tamanho real do rombo, nem mesmo qual a real situação financeira do país. Em sua revisão do PIB, o governo chinês disse que no ano passado o PIB cresceu 7,3% e não 7,4% como estimado antes.

O saldo acumulado dos investimentos externos na Bovespa teve nova queda nessa semana. Essa queda deverá se acelerar, visto que com a perda do grau de investimento, os investidores institucionais deverão se retirar da bolsa brasileira .Acompanhe nossa medida em nosso monitor de estrangeiros.

O IMA-entrada diário teve leve queda nessa semana, atingindo 0,904 nessa semana. Nada muito significativo a ponto de mudar a tendência do cenário atual na Bovespa.

IMA crash = 0,00

IMA entrada = 0,904

 

 

A linha vermelha é a análise da transformada wavelet do Ibovespa para o nível de estresse e possível crash (quedas abruptas mas a nível de 15 minutos) e o gráfico em azul é a transformada wavelet para o nível de entrada no mercado

ANÁLISE SEMANAL - Bovespa Intradiário ( dados a cada 15 minutos)

Na última análise de 04/09/2015 foi dito: "....Para a segunda-feira, provavelmente teremos queda no Ibovespa até o meio da tarde, prazo para que o IMA-crash finalmente atinja o valor zero. Se isso ocorrer, terça-feira à tarde pode ser um bom momento para fazer compras na Bovespa.

Pedimos desculpas pelo "deslize" desse parágrafo. Segunda-feira foi 7 de Setembro, feriado nacional onde a Bovespa não abriu. Onde está escrito "segunda-feira" devemos interpretar como terça-feira.

Sendo assim, na terça-feira o IMA-crash caiu com uma boa alta no Ibovespa. O Ibovespa no entanto foi perdendo sua força e quase fechou no negativo. Ao final do dia o Ibovespa voltou a fechar com pequena alta em relação à abertura. O IMA-crash não zerou e isso só ocorreu na quarta-feira, após o meio dia.

O Ibovespa chegou a estar em 47.747 pontos às 11 horas, quando começou a virar forte. Certamente notícias sobre o rebaixamento da nota de crédito vazaram para os grandes clientes da S&Poor's que começaram uma onda de vendas. No dia, até a divulgação do rebaixamento, nenhuma notícia forte fazia parte do noticiário a ponto de interromper a intenção de alta no Ibovespa.

Uma notícia que existia era que o preço do petróleo estava em queda e que previsões dariam conta de que o mesmo poderia chegar a 20 dolares em alguns anos. Com isso, as ações da Petrobras estavam em queda. Mas à noite, a real notícia apareceu, com o rebaixamento da nota de crédito do país.

O Ibovespa se recuperou razoavelmente, mas quando atingiu 46.636 pontos na quinta-feira, a notícia de que empresas do Brasil também tiveram notas de crédito rebaixadas, fez novamente com que os preços caíssem. Entre elas a Petrobras e todos os bancos brasileiros.

Para a semana que vem, como o IMA-entrada intradiário está ainda em fase de crescimento, poderemos ter uma segunda-feira ainda de baixa. A situação só deverá se normalizar na terça-feira.

Ainda escrevemos na última análise sobre a Braskem:

"Lá vem queda da Braskem de novo?..." No entanto, uma queda forte está em curso, uma vez que o IMA-crash ainda não está em zero.....

E a queda veio (figura abaixo)

Comparação BRKM5 x IMA-crash

Para a Embraer dissemos:

"...O IMA-crash alertou nessa semana para uma queda forte da Embraer. As ações saíram de R$ 23,63 para R$ 24,04 e depois caíram forte para R$ 23,39 conforme figura à seguir..."

E as ações caíram mais forte durante a semana, mas depois do IMA-crash zerar voltaram a subir.

Comparação EMBR3 x IMA-crash

Demos ainda um alerta "especial" para as ações da CSAN3. Dissemos:

"...Um alerta especial está sendo reportado para as ações da CSAN3. O IMA-crash está aumentando rápido e, na sexta-feira, quase atingiu 0,8. Esses preços podem cair forte na segunda-feira, com uma virada abrupta..."

E caiu mesmo, como visto à seguir:

 

Comparação CSAN3 x IMA-crash

Acompanhe nossos indicativos na parte de assinantes do CANAL IMA-ONLINE. e saiba antes do mercado tradicional o que vai acontecer com suas ações. Venha fazer parte de nosso grupo de assinantes e desfrute de conhecer antes, o comportamento do mercado, através das frequências do IMA.

Gostou da análise semanal?

COLABORE COM DONATIVO PARA O SITE

(R$ 2,00 ; R$ 5,00 ; R$ 10,00 )

 

FATOS RELEVANTES POSITIVOS

BRASKEM fecha novo acordo com Pettrobras para fornecimento de Nafta

Fluxo cambial do Brasil foi positivo em agosto, depois de 3 meses negativo.

PETROBRAS emite comunicado relatando que seus financiamentos de médio prazo não estão atrelados à nota de crédito.

FATOS RELEVANTES NEGATIVOS

Saque na poupança registra recorde de 20 anos

Governo estuda aumentar impostos na Cide, IPI e IOF.

Comércio exterior da China registra queda de 9,7%

Governo estuda elevar IR

S&Poor's rebaixa nota de crédito do Brasil e de empresas.

ATA do COPOM afirma que período de aperto poderá ser mais intenso

 

PRÓXIMA SEMANA

Produção Industrial de agosto nos EUA

Pesquisa de Comércio em julho no Brasil

Coletiva da presidente do FED (EUA)

Divulgação do IGP-M

Pesquisa Industrial de Emprego e Salário no Brasil em julho.

 

 

dias observação 1490

Eventos(sinais de alerta de crash)

98
Acertos 89(90,8%)
Falsos Alarmes 09 (9,2%)
Queda média -2,70%
Queda máxima -6,91%
Queda mínima -0,08%
Valorização média nos falsos alertas +1,46%
Valorização máxima nos falsos alarmes +2,3%
Valorização mínima nos falsos alarmes +0,2%
Tempo médio até o mínimo valor após o sinal de alerta 2,66 dias
Tempo máximo até o mínimo valor após o sinal de alerta 10 dias
Tempo mínimo até o mínimo valor após o sinal de alerta 30 minutos