Mudanças Abruptas

Análise Semanal Ibovespa

18/01/2016 a 22/01/2016

 

Era para ser uma semana de muitas comemorações e tranquilidade mundial. Afinal, o Irã cumpriu com suas metas para a produção de urânio e metas para se produzir energia nuclear para fins pacíficos.

Bem, essa palavra "pacífico" é muito restrita, pois em caso de guerra ou ameaça, qualquer país pode transformar suas centrífugas para produzir quantidades suficientes de urânio enriquecido para uma bomba nuclear.

Mas seguindo o protocolo mundial, era para ser comemorado esse fato. Mas tudo deu errado. Isso porque o anúncio dos fins das sanções comerciais ao Irã, foi na semana em que o preço do barril estava despencando. E como o Irã é o maior produtor da commodity, o preço mundial do barril simplesmente se desfez.

E com essa queda no preço, nações do mundo todo começaram a ver suas bolsas acusando forte e ininterruptas quedas. Da Ásia para a América tudo despencou. As maiores baixas foram para as empresas produtoras de petróleo.

O ITAÚ deve estar abarrotado de ações da Petrobras. Nessa semana, seus analistas soltaram correndo um relatório afirmando que a Petrobras não sofreria tanto com a queda do preço do barril, pois 60% dos recursos da emrpesa vem da venda de outros ativos além do óleo combustível.

Outra má notícia é que a inflação de janeiro ficou em 0,92%, acumulando em 12 meses 10,74%. Com isso, a taxa de juros Selic, por si só, pressionou o COPOM (Comitê de Política Monetária) que deu um passo atrás e não aumentou a taxa. A taxa básica de juros fica em 14,25% ao ano após a última reunião.

Outro fator que pesou foi o nível de desemprego no Brasil, que agora atinge 9%, o maior dos últimos anos.

Enquanto isso, em Davos, os milionários aproveitam os cafés quentes para discutir em meio a neve sobre os pobres do mundo. Cerca de 60% da riqueza mundial está participando desse encontro. Riqueza particular, pois todos os grandes bancos do mundo estão lá representados.

A percepção do mercado foi que dessa reunião vai sair uma decisão para os bancos aumentarem os estímulos com facilitação maior dos créditos. Eles buscam esquentar as economias globais.

Essa percepção fez com que os mercados abrissem em forte alta nessa sexta-feira, com as ações se recuperando e o preço do barril voltando acima dos US$ 31,60. Dow Jones operou o dia todo em alta acima de 1%.

O volume de estrangeiros está em queda livre na Bovespa, e assim vai continuar enquanto os juros americanos estiverem em trajetória de alta. Acompanhe nossa medida em nosso monitor de estrangeiros.

O IMA-entrada diário continua operando em alta, estacionado praticamente em seu maior nível nesse ano. Nessa sexta-feira o IMA-entrada diário ficou em 0,98.

IMA crash = 0,00

IMA entrada = 0,98

 

 

A linha vermelha é a análise da transformada wavelet do Ibovespa para o nível de estresse e possível crash (quedas abruptas mas a nível de 15 minutos) e o gráfico em azul é a transformada wavelet para o nível de entrada no mercado

ANÁLISE SEMANAL - Bovespa Intradiário ( dados a cada 15 minutos)

Em nosso relatório do dia 15/01/2016 dissemos: "...Para a semana que vem, ainda teremos mais pressão vendedora, mas como pode-se ver, o IMA-entrada continua em alta. Ações compradas nessa semana, poderão ser bem valorizadas nas próximas semanas, mas não de maneira rápida. Vai demorar para o IMA-crash voltar...".

O preço do petróleo foi o grande controlador dos mercados nessas últimas duas semanas. Nessa sexta-feira os mercados parecem que estancaram as quedas e talvez entraremos no ciclo de alta na bolsa na semana que vem.

O Ibovespa começou a semana em 38.540 pontos, mas com a queda no preço do barril, as ações da Petrobras levaram o mercado brasileiro para o fundo do poço. Na quarta-feira o Ibovespa atingiu 37.150 as 15:40 h. Desde então, o Ibovespa começou a voltar lentamente, e nessa sexta-feira o índice abriu em forte alta.

Ao longo do dia o Ibovespa foi perdendo força, mas mesmo assim se manteve em torno dos 38 mil pontos. Com essa alta no Ibovespa, o IMA-entrada intradiário para medidas de 15 minutos, finalmente começou a ceder e começa a cair.

Na semana que vem, dependendo das notícias de segunda-feira, o Ibovespa pode realmente voltar a ter grandes valorizações na abertura da Bovespa de terça-feira. Se isso ocorrer o IMA-crash poderá aparecer entre quarta-feira e quinta-feira. Até sexta-feira da semana que vem, quem aprofeitou essa forte baixa nas ações poderá começar a sentir o reforço nos lucros.

Acompanhe nossos indicativos na parte de assinantes do CANAL IMA-ONLINE. e saiba antes do mercado tradicional o que vai acontecer com suas ações. Venha fazer parte de nosso grupo de assinantes e desfrute de conhecer antes, o comportamento do mercado, através das frequências do IMA.

Gostou da análise semanal?

COLABORE COM DONATIVO PARA O SITE

(R$ 2,00 ; R$ 5,00 ; R$ 10,00 )

 

FATOS RELEVANTES POSITIVOS

Fim das sansões ao Irã com o avanço no acordo nuclear.

Produção de petróleo no Brasil supera meta e a produção é a maior da história.

Petrobras vai vender a filial Argentina

Taxa de juros se mantém em 14,25% ao ano

FATOS RELEVANTES NEGATIVOS

Inflação na Venezuela atinge 141%.

Venezuela decreta estado de emergência econômica

Taxa de desemprego é de 9% no Brasil

OGX quer parar extração de petróleo devido ao preço baixo. ANP vai julgar em até 60 dias.

Inflação fica em 0,92% em janeiro

PRÓXIMA SEMANA

Bovespa não abre na segunda-feira por conta do feriado

Indicador da expectativa de inflação dos consumidores

INCC de janeiro

IGPM de janeiro

Pesquisa mensal de emprego no Brasil - dezembro de 2015

dias observação 1578

Eventos(sinais de alerta de crash)

102
Acertos 93 (91,2%)
Falsos Alarmes 09 (8,8%)
Queda média -2,82%
Queda máxima -7,77%
Queda mínima -0,08%
Valorização média nos falsos alertas +1,46%
Valorização máxima nos falsos alarmes +2,3%
Valorização mínima nos falsos alarmes +0,2%
Tempo médio até o mínimo valor após o sinal de alerta 2,67 dias
Tempo máximo até o mínimo valor após o sinal de alerta 10 dias
Tempo mínimo até o mínimo valor após o sinal de alerta 30 minutos