Mudanças Abruptas

Análise Semanal Ibovespa

18/07/2016 a 22/07/2016

 

O COPOM (Comitê de Política Monetária) termina a reunião emitindo o seguinte comunicado ao mercado nessa semana: "... incertezas quanto à aprovação e implementação dos ajustes necessários na economia...".

A taxa Selic se manteve em 14,25% e o desemprego agradece. Com essa taxa, o desemprego vai aumentar por mais alguns meses e nem adianta reinventar a estatística do IBGE.

Isso foi suficiente para as curvas de juros futuros aumentarem sua tendência, fazendo os preços dos títulos caírem.

Para a Bovespa, no entanto, o cenário foi de glória e pazes com o investidor. Altas na bolsa, uma atrás a outra, estão fazendo os investidores menores voltar às compras.

Mas essa é uma alta sem amparo real. Não existe absolutamente nada que provoque essa euforia incontrolada para expectativa tão positiva que se reflita nos preços.

Dois motivos são responsáveis pela alta. A entrada pesada do investidor externo movido pelo baixo juro nos EUA e as negociações da PETROBRAS para a venda da BR distribuidora. Essa venda é boa?

Apenas o futuro dirá, mas o controle compartilhado será um perigo para manter o domínio dentro do país nas mãos dos capitais externos. Quem domina a distribuição de petróleo nos EUA? Empresas com controle americano, ou empresas estrangeiras?

A Vale do Rio Doce aumentou a produção de ouro, níquel e cobre, mas ainda está toda enrolada com a lama da Samarco. Isso está atrapalhando as ações alavancarem no preço.

Fora do Brasil o clima é bastante tenso com a volta dos atentados terroristas. Isso causa medo e apreensão, visto que agora a Alemanha foi alvo desses atos. A calma Munique ficou estarrecida com o ataque. Apesar disso as bolsas no exterior tiveram uma semana de oscilação em torno de suas máximas.

Nos EUA agora a eleição chegou em sua principal fase. A verdadeira guerra entre eleitores de Hillary e de Trump vai começar com debates na televisão. Hillary conseguiu o apoio integral de seu partido, mas Trump não. Seu principal opositor dentro do partido Republicano afirmou que não apoiará quem xingou sua esposa.

O investimento estrangeiro na Bovespa voltou a disparar na Bovespa com mais entradas de investidores, movidos pela alta da de juros brasileira e pela quase nula taxa americana.. Acompanhe nossa medida em nosso monitor de estrangeiros.

O IMA-entrada diário derreteu. Como há muito tempo não se via, o IMA-entrada caiu para 0,425. Isso indica que o momento de compra para o futuro é bom, é ótimo e o rendimento de longo prazo poderá ser bom. No entanto, se o Ibovespa continuar arrancando rumo aos 70 mil, será questão de semanas o aparecimento do IMA-crash diário.

 

IMA crash = 0,00

IMA entrada = 0,425

 

 

A linha vermelha é a análise da transformada wavelet do Ibovespa para o nível de estresse e possível crash (quedas abruptas mas a nível de 15 minutos) e o gráfico em azul é a transformada wavelet para o nível de entrada no mercado

ANÁLISE SEMANAL - Bovespa Intradiário ( dados a cada 15 minutos)

Em nosso relatório do dia 15/07/2016 escrevemos: "...Para o investidor mais experiente saberá entrar vendido no mercado futuro, ou compra Put das ações. Mas para quem não sabe, é bom pular fora para segurar o lucro semanal....Assim, semana que vem poderemos ter queda forte a qualquer momento, mesmo alerta da semana passada. Essa alta não durará por muitos mais dias..."

Não tivemos queda nenhuma e já foi estabelecido um recorde para o alerta do IMA-crash. Já temos 12 dias de IMA-crash acima de 0,7 apontando perigo contra o recorde anterior que era de 10 dias.

Esse rally vem se mantendo pela alta nas ações da Petrobras, com a nova política de venda para a BR-distribuidora, além da constante entrada de capital externo movido pelos juros baixos nos EUA.

Até quando isso vai? Quem sabe. Mas se os jornais começarem a falar dessa forte alta, motivando a entrada de pequenos investidores, o perigo para uma queda é iminente.

O IMA-crash diário bateu seu recorde de queda, agora estando em 0,425. Há muitos meses isso não acontencia. Poderemos ainda ter alguns dias de alta se mantendo na Bovespa, mas com o IMA-crash nas alturas, o risco de queda comentando na semana passada, continua.

A queda será aos 60 mil pontos do Ibovespa?

Quem sabe? Pode ser que mais investidores se animem a entrar na expectativa de ver o Ibovespa "romper a barreira dos 60 mil pontos " ainda nessa semana. É aquilo que os analistas técnicos dizem como barreira psicológica.

Dois meses atrás comentamos desse perigo, ou seja, de que provavelmente teríamos uma alta por 3 meses até julho, mas que depois, diante do cenário de desemprego isso contaminaria a bolsa. Poderemos estar vivendo esse "mundo previsto". Ou não.

O Ibovespa abriu a semana aos 55 mil pontos e terminou aos 57 mil pontos. Teve pequenas oscilações de momento ao longo da semana, mas quando se observa a tendência dos dados, o Ibovespa sempre mostra-se em alta.

Uma das ações com alto grau de perigo para queda na semana é da Vivo (VIVT4). Com o rápido movimento de alta, seu IMA-crash disparou, saindo de 0,2 e atingindo o máximo de 0,85 na semana (linha vermelha no gráfico a seguir).

VIVT4 x IMA-crash

Tem mais alertas para semana que vem. Veja você mesmo!

Acompanhe nossos indicativos na parte de assinantes do CANAL IMA-ONLINE. e saiba antes do mercado tradicional o que vai acontecer com suas ações. Venha fazer parte de nosso grupo de assinantes e desfrute de conhecer antes, o comportamento do mercado, através das frequências do IMA.

Gostou da análise semanal?

COLABORE COM DONATIVO PARA O SITE

(R$ 2,00 ; R$ 5,00 ; R$ 10,00 )

 

FATOS RELEVANTES POSITIVOS

PETROBRAS assina acordo de leniência com MPF para receber R$ 1,12 bilhão de empresa holandesa

Usiminas assina acordo com credores para suspensão de pagamentos a começar em setembro

Presidente da PETROBRAS é cobtra privatização

PETROBRAS avalia propostas recebidas pela BR Distribuidora

PETROBRAS vai publicar fatos relevantes apenas em website

VALE bate recorde na produção de ouro, níquel e cobre

 

FATOS RELEVANTES NEGATIVOS

Volume de decolagens da GOL cai 21% no segundo trimestre

COPOM mantém a taxa Selic em 14,25% ao ano.

PETROBRAS cai 30 posições entre as maiores empresas do mundo

JBS fecha frigorífico em Presidente Epitácio e demite 500 funcionários

 

PRÓXIMA SEMANA

IGP-M de Julho

Balança Comercial dos EUA em Junho

PIB do segundo trimestre dos EUA

Confiança do Consumidor nos EUA em Julho

dias observação 1702

Eventos(sinais de alerta de crash)

112
Acertos 104 (92,8%)
Falsos Alarmes 08 (7,2%)
Queda média -2,89%
Queda máxima -7,77%
Queda mínima -0,08%
Valorização média nos falsos alertas +1,46%
Valorização máxima nos falsos alarmes +2,3%
Valorização mínima nos falsos alarmes +0,2%
Tempo médio até o mínimo valor após o sinal de alerta 2,62 dias
Tempo máximo até o mínimo valor após o sinal de alerta 10 dias
Tempo mínimo até o mínimo valor após o sinal de alerta 30 minutos