Mudanças Abruptas

Análise Semanal Ibovespa

22/08/2011 a 26/08/2011

 

Todo mundo esperou, todo mundo comentou, ele foi o centro das atenções: Ben Bernanke. E quando ele falou, não disse nada. E o mercado gostou, pois especularam demais para perder o dinheiro investido na semana. Seria muito interessante para o mundo, se o crescimento do Dow Jones e Nasdaq nessa semana fosse sólido e real. Quem não gostaria de ver Nasdaq crescendo 4% de maneira sólida, com relatórios de empregos, ânimo de consumidor em alta, produção industrial em alta, entre outras notícias positivas? Seria o melhor dos mundos. Seria como lembrar a velha e boa Nasdaq dos anos 1990 quando crescia a taxa de 3% ao dia, batendo recordes e mais recordes.

Mas não foi assim. Mais uma vez os fundos inflaram o crescimento das bolsas de maneira artificial, preparando o mundo para o pronunciamento de Ben Bernanke. Ao crescer rápido, sinalizou para os investidores menores que notícias boas poderiam ter vazado e o FED as anunciaria nessa sexta-feira. Engano, nada, absolutamente nada de animador foi revelado. Pelo contrário, o crescimento americano que já tinha sido rebaixado de 2% para 1,3%, foi revisado novamente e caiu ainda mais para 1%. Por que Nasdaq cresceu 4% se o crescimento real do país parou de aumentar?

Com medo do mercado achar que estava escondendo algo, o FED liberou o livro de dívidas do tesouro. Mais notícia ruim. A dívida dos bancos com o FED é de mais 1,6 trilhões de dólares. Mas o mercado gostou e as bolsas subiram. O Citi, O Bank of America e o HSBC estão entre os maiores devedores e anunciaram a demissão em massa de funcionários. E o mercado gostou. Pobres funcionários, de novo a corda vai arrebentar do lado mais fraco.

Quem foi o mais animado? Qual o fundo que primeiro inflou e jogou mais dinheiro? Não dá para saber, mas alguém ou algum grupo de amigos resolveu criar uma fantasia levando os pequenos investidores juntos. Isso é perigoso, pois a realidade vai ser ainda mais dura quando aparecer. Obama chamou Buffet e depois ele comprou 5 bilhões em ativos do Bank of America. O banco deve mais de 80 bilhões. Ou seja, 5 bilhões não significam nada na dívida do banco, mas o mercado gostou. E a Europa?

Pararam de falar da Europa. De repente as dívidas da Espanha e Itália não existem mais. O Euro não tem mais problema e tudo está resolvido. Não, a coisa não funciona assim. Não falar, ou melhor, não discutir seriamente para encontrar medidas de melhora só para acalmar fundos de investimento não é solução para economia.

O IMA continua na faixa entre 0,9 e 1,0, mostrando que seria um bom momento de entrar em tempos normais. Mas enquanto não mostrar forte tendência de queda abaixo de 0,9 pode ser arriscado entrar.

Os estrangeiros aceleraram sua saída, começando a ficar mais perceptível o movimento em busca dos altos retornos do Dow Jones e Nasdaq. Confira em nosso monitor diário na "aba" estrangeiros.

IMA crash = 0,00

IMA entrada = 0,93

 

 

A linha vermelha é a análise da transformada wavelet do Ibovespa para o nível de estresse e possível crash (quedas abruptas mas a nível de 15 minutos) e o gráfico em azul é a transformada wavelet para o nível de entrada no mercado

Na análise de 19/08/2011 foi dito:".. Devem continuar quedas na segunda-feira e só parar se algum passo novo do G7 e FED animarem os especuladores. Como o IMA-diário está entre 0,9 e 1,0, não parece uma semana animadora para entrar com segurança". Segunda-feira realmente o Ibovespa caiu atingindo 52 mil pontos, mas reagiu na terça-feira. As quedas pararam, mas ao contrário do que dissemos, não ocorreu nenhum passo novo. Absolutamente apenas especulação de grandes fundos em cima do discurso de Ben Bernanke.

A semana nem foi animadora assim, conforme pensávamos, mas se levarmos em conta que a bovespa saiu da casa dos 52 mil pontos para 53 mil pontos, até que foi um bom ganho para quem teve sangue frio em cima da alta volatilidade. No gráfico acima pode-se perceber o "efeito Buffet", com uma rápida subida da bolsa, fazendo o IMA-entrada cair. Terminamos a semana com IMA-entrada marcando 0,4, um indicativo de que seria um bom momento de entrada. Em tempos normais, a entrada seria segura e com bons ganhos. No entanto, com as turbulências do mercado e do mundo árabe, melhor esperar definição do mercado na segunda-feira pela manhã. Dois cenários são possíveis:

1- Se na segunda-feira pela manhã as bolsas subirem, para quem gosta de day-trade ou comprar e vender no dia seguinte, pode-se ter lucro entrando junto com o mercado. No entanto, como o IMA-entrada está baixo, se o Ibovespa subir rápido aparecerá na terça-feira o sinal de IMA-crash. Se isso acontecer, na quarta-feira ou quinta-feira teremos virada pra baixo.

2-Mas caso na segunda-feira de manhã o Ibovespa caia, o IMA-entrada vai aumentar e então o melhor a fazer é ficar fora e esperar até ele atingir novamente o valor de 1,0. E se isso acontecer, o Ibovespa vai solar nos 51 mil pontos.

 

 

FATOS RELEVANTES POSITIVOS

Dívida pública mobiliária do Brasil caiu 4% na comparação mensal.

França cria novo imposto para taxar os mais ricos do país.

Pedidos de bens duráveis cresce 4% na comparação mensal nos EUA.

Espanha e Itália prorrogam proibição de vendas à descoberto.

Warren Buffet compra 5 bilhões em ativos do Bank of America

FATOS RELEVANTES NEGATIVOS

O caso do presidente do FMI foi arquivado e sem punição.

Matenga afirma que Brasil será atingido pela crise.

Terremoto de 5,9 atinge Washignton e New York.

Steve Jobs renunciou à Apple.

Aumentou para 417 mil o pedido de seguro-desemprego nos EUA, acima do esperado para a semana.

Citi vai demitir 3.500 funcionários

PRÓXIMA SEMANA

Olhar a repercussão do furacão Irene. Se fizer muito estrago no fim de semana nos EUA,as bolsas podem sentir.

Ficar observando as agências de ratings, ainda vem surpresa pela frente.

Situação européia deve ter algum desenrolar com a Líbia. Como Kadafi está livre, surpresas podem aparecer.

Espanha e Itália ainda estão sob a mira das agências de risco.

Japão deve mostrar alguma direção diferente com o novo premiê. Se mexer no câmbio, EUA vão sentir.

 

 

 

 

 

dias observação 564

Eventos(sinais de alerta de crash)

42
Acertos 34 (81%)
Falsos Alarmes 08 (19%)
Queda média -2,3%
Queda máxima -6,6%
Queda mínima -0,08%
Valorização média nos falsos alertas +1,46%
Valorização máxima nos falsos alarmes +2,3%
Valorização mínima nos falsos alarmes +0,2%
Tempo médio até o mínimo valor após o sinal de alerta 2,93 dias
Tempo máximo até o mínimo valor após o sinal de alerta 7,4 dias
Tempo mínimo até o mínimo valor após o sinal de alerta 30 minutos