Mudanças Abruptas

Análise Semanal Ibovespa

24/10/2011 a 28/10/2011

 

Finalmente terminou o tão esperado acordo de cúpula da Europa. Muitos sites na semana disseram que era o dia "mais esperado" do ano. E as bolsas viraram foguetes subindo entre 4% a 5% na Europa e entre 3% a 4% no Brasil e EUA. Algumas opções da Petrobrás passaram de 300% num único dia. Charutos foram acesos, Sarkozy e Merkel respiraram aliviados e o primeiro ministro da Grécia recebeu um afavo e forte abraço de Berlusconi (Itália) e Zapatero (Espanha). Claro, agora eles também terão dinheiro para tentar arrumar suas casas.

Nos EUA o presidente Obama alardeou como uma "decisão histórica" e todos já afirmam que é hora de comemorar o fim da crise. Será? Ninguém nem entendeu que tipo de crise temos e comemoram o fim da crise? Primeiro apenas uma pergunta: Se você empresta dinheiro para um amigo, muito dinheiro, a ponto dele comprar carro e casa, colocar os filhos nas melhores escolas e no dia combinado do pagamento ele diz: só vou pagar 50% e esqueça o resto. Você vai ficar feliz e soltar rojão?

Claramente a Europa, em especial Sarkozy, foi a imprensa alardear esse acordo pois eles mesmos colocaram pressão sobre si. Ao dizer na sexta-feira passada que na quarta-feira teriam uma decisão final, tinham que fechar com algo. Se não chegassem a um acordo depois de 12 horas de reunião o mercado mundial desabaria. Os líderes perceberam que 1,3 trilhão de dólares não segura a crise e dívidas da Espanha e Itália. Algo mais forte tinha que ser dito. E o que foi dito em cima do "gongo" é que os bancos particulares "compreenderam" que precisam esquecer 50% da dívida da Grécia. Segundo Sarkozy, não foi uma conversa, foi uma comunicação que eles tinham que aceitar isso. Será?

Passada a euforia, a ressaca está fazendo todos perguntarem, e agora? Cadê as entrelinhas do acordo. Se os bancos vão abrir mão de 50%, quem vai pagar para eles? O que receberão em troca dos governos? Não existe nada escrito e nem acordado de maneira formal. Isso está preocupando todos os mais sérios, pois é muito dinheiro para não deixar nada escrito. Os líderes prometeram em 1 mês escrever tudo e divulgar. A Fitch já divulgou hoje que se isso for "real", é um calote oficial. E vai começar a baixar o ratting de todos os países e bancos envolvidos. A Grécia então, nem se fala.

O IMA-entrada agora começa a cair de maneira mais forte e abaixo de 0,8 indicando que poderá ser um bom momento de compras para médio prazo. O investidor de longo prazo que esperou ansiosamente poderá procurar alguns atrativos e quanto mais cair e rápido o IMA-entrada, mais a Bovespa vai subir. E agora a visão fica para outro problema. Como o Ibovespa poderá aumentar muito rápido e veloz, o IMA-crash poderá aparecer também rápido. Por isso o investidor cauteloso deve ficar atento que provavelmente não teremos prazo longo de investimentos seguros ( anos, por exemplo), mas de no máximo 6 a 8 meses. Se o Ibovepsa subir novamente para a casa dos 70 mil tão rápido quanto os fundos querem, vai estressar o indicador e poderá voltar a cair rápido em 2012. Na semana que vem deve haver uma grande queda (veja abaixo o IMA-intradiário muito alto).

Então a crise terminou e vamos feliz às compras? Não, o indicador IMA está mostrando que uma direção de especulação será mais correlacionada entre os investiodres, mas a crise ainda está em curso. Mesmo que o IMA-entrada caia para zero e a Bovespa atinja 70 mil pontos a estrutura do mercado financeiro está rachada e mal costurada com esses acordos voltados para bancos e finanças. O acordo mais sério desse ano, do presidente Obama, para criar empregos está em banho maria. Esse sim é um bom plano, mas os deputados ligados ao setor financeiro não se interessam. Tem eleição no ano que vem nos EUA.

Podemos ter repique e o IMA-entrada voltar a subir? Sim, podemos e a bolsa poderá voltar a cair a medida que novos cortes nas notas de crédito começarem a aparecer. No histórico dos dados já aconteceu isso, mas a medida que a velocidade de queda do IMA-entrada vai aumentando e ele vai chegando mais próximo de zero, menor fica a probabilidade da bolsa cair forte nesses primeiros momentos. Um trilhão de dólares só para bancos e países europeus "brincarem" é muito dinheiro. Eles não vão querer repiques de bolsas empurrando todos para baixo. Por isso a União Européia agora vai voltar seu fogo para os BRICs, ou seja, nós.

Estranhamente os estrangeiros estão saindo da Bovespa conforme mostra o relatório de estrangeiros. O fluxo de estrangeiros desde Fevereiro continua negativo na Bovespa, o que indica que a alta da Bovespa está sendo provocada ainda por investidores nacionais. Se estrangeiros voltarem com força para comprar a bolsa pode disparar. Mas se algo "estranho" acontecer por esses dias, os estrangeiros podem voltar, mas operar como "vendidos" para derrubar e ganhar mais com a bolsa. Confira os estrangeiros em nosso monitor diário na "aba" estrangeiros.

IMA crash = 0,00

IMA entrada = 0,77

 

 

A linha vermelha é a análise da transformada wavelet do Ibovespa para o nível de estresse e possível crash (quedas abruptas mas a nível de 15 minutos) e o gráfico em azul é a transformada wavelet para o nível de entrada no mercado

Na análise de 21/10/2011 foi dito:"...Para a próxima segunda-feira o IMA-entrada está em 0,15 (muito baixo) e o IMA-crash não apareceu. Qualquer comentário é mero palpite, visto que as frequências não apontam nem subida nem queda. Se o mercado achar que o fundo de estabilização da Europa é bom, a bolsa pode subir. Se subir rápido IMA-crash aparece e na quinta-feira ou sexta-feira a bovespa vira para baixo...." . E o mercado e o mundo inteiro gostaram da reunião e o IMA-crash reapareceu muito forte como há muito tempo não se via. Na quinta-feira bateu no seu recorde 1,0 e ainda resisitiu no dia de hoje próximo de 0,8.

A estatística de acertos de 81% no IMA-intradiário em 607 dias de acompanhamento nos faz afirmar que na segunda-feira à tarde ou terça-feira de manhã o Ibovespa vai cair muito forte. A média de queda após um alerta forte do IMA-crash é de 2,8 dias então, a contar de quinta-feira à tarde o prazo dessa queda forte poderá ser mesmo nesse período até terça-feira. Também conforme a estatística essa queda pode ser de 2,3% e ter um máximo de 6,6%. É mais provável ficar em torno de 2% a 3% mesmo, pois o valor de 6% somente se algo muito trágico ocorrer. Quem não comprou, não compre, apesar de dar uma "dor de arrependimento" muito forte.

 

FATOS RELEVANTES POSITIVOS

Fitch mantém grau de investimento para o Brasil em BBB.

Vendas de imóveis novos nos EUA aumentou em Setembro.

Juros podem cair ainda mais, diz COPOM.

Europa fecha acordo para salvar Grécia e criar um fundo para os endividados de mais de 1 trilhão de dólares.

Economia dos EUA cresce 2,5% no 3o. tri em comparação com o ano passado.

 

FATOS RELEVANTES NEGATIVOS

Japão gastará mais US$158 bi para reconstrução

IPCA deverá ficar em 6,5% esse ano, diz focus do BC

CADE suspende compra da WebJet pela GOL.

 

 

PRÓXIMA SEMANA

Analisar detalhes do plano de ajuda financeira da Europa.

Tomar cuidado com as agências de risco. Mais rebaixamentos podem surgir.

dias observação 607

Eventos(sinais de alerta de crash)

44
Acertos 36 (81,8%)
Falsos Alarmes 08 (18,2%)
Queda média -2,38%
Queda máxima -6,6%
Queda mínima -0,08%
Valorização média nos falsos alertas +1,46%
Valorização máxima nos falsos alarmes +2,3%
Valorização mínima nos falsos alarmes +0,2%
Tempo médio até o mínimo valor após o sinal de alerta 2,87 dias
Tempo máximo até o mínimo valor após o sinal de alerta 7,4 dias
Tempo mínimo até o mínimo valor após o sinal de alerta 30 minutos