Sábado, 06 de Outubro, 2018

O efeito Cassandra eleitoral

A divindade solar sempre foi referência entre os humanos. A luz está presente entre todas as religiões sob os mais diferentes aspectos e crenças, fazendo acreditar no poder sobrenatural responsável pelas nossas atitudes, sobre nossos caminhos em direção a um futuro certo e correto. Na mitologia grega a mais eclética e citada divindade é deus Apolo.

Filho de Zeus e Latona, Apolo tinha uma irmã gêmea conhecida como a deusa da caça, com nome Ártemis. Apolo era considerado um excelente arqueiro, que matava humanos com dardos letais com doenças ou mortes súbitas. Como deus, os poderes de Apolo eram exercidos sobre todos os seres terrestres, com poderes sobrenaturais.

Apolo estava no centro do conhecido Oráculo de Delfos, onde uma sacerdotiza intitulada de Pitia era a porta-voz do deus Sol dos gregos, onde segundo se conta, Apolo transmitia os acontecimentos futuros baseados nas vontades de Zeus, seu pai. O oráculo era procurado para fazer previsões de qualquer tipo e tomadas das decisões envolvendo o futuro de toda uma cidade ou mesmo para uma pessoa específica.

Conta a lenda que Apolo se encantou com Cassandra, filha do rei de Tróia. Interessada em aprender sobre previsões, Cassandra teria prometido se entregar aos amores de Apolo, caso este lhe ensinasse o dom da previsão sobre o futuro. Como deus, Apolo concedeu o dom da previsão, os passos a serem seguidos para obter com êxito visões sobre o futuro.

No entanto, Cassandra não cumpriu a promessa e se recusou a nomarar Apolo. Este revoltado ao final dos ensinamentos cuspiu na boca de Cassandra, amaldiçoando-a para que nenhuma pessoa acreditasse jamais em suas palavras. E assim, a partir desse ato, Cassandra falava sobre os eventos futuros mas ninguém acreditava. Ela foi considerada louca e desacreditada o resto da vida.

 

Cassandra previu que a chegada de Helena à Tróia seria uma catástrofe. Uma guerra se iniciaria e Tróia cairia sobre as armas dos gregos pela traição de Helena. Cassandra previu que o enorme cavalo deixado pelos gregos não deveria ser trazido para Tróia. Ninguém a ouviu, pois suas palavras não convenciam ninguém graças a maldição de Apolo. Ela falava e alertava, chorava pelos corredores do palácio, contava as visões da desgraça futura, mas ninguém acreditava.

E assim, mesmo com os alertas de Cassandra de que o cavalo não era presente, o cavalo não estava recheado de ouros, o cavalo não trazia consigo a esperança de paz, o cavalo não era um símbolo de controle troiano mas grego, os troianos trouxeram o cavalo para dentro das muralhas de Tróia.

E depois de festejarem antecipadamente, beberem muito, zombarem dos gregos, achando que "eles" perderam e "nós" vencemos, na madrugada, a cidade caiu, derrotada conforme previu Cassandra, que viu tudo e foi capturada como prisioneira de sua própria previsão.

Nesse período eleitoral, existem dois tipos de eleitores. Os humanos enfeitiçados pelos políticos e os Cassandras, que tentam alertar sobre os perigos futuros.

A política é como Apolo, ela enfeitiça os fracos, ela soa como uma música doce e suave, que leva para a cova a razão e o sentimento das pessoas.

Apolo, apesar de belo, foi um deus frustado em toda sua passagem pela Terra. Nunca conseguiu namorar ou se relacionar com humanos ou humanas.

A política é igual, soa como uma boa alternativa para o convívio das pessoas. E quem tem contato direto com ela se encanta como o som de uma flauta. E assim, caem em desgraça.

Esses políticos e seus correligionários são humanos que não ouvem mais as pessoas que tentam alertar das tragédias. Para esses troianos, quem faz qualquer tipo de alerta é uma Cassandra.

Claro que os alertas são mentiras, são "fakenews", nada de ruim acontecerá, dizem de um lado. É tudo invenção contra o "meu candidato", dizem de outro.

Os candidatos desses troianos se tornam parte de seu corpo, parte da família, mesmo que nunca tenham se visto ou se encontrado.

 

O cavalo da eleição nos braços do povo

Inflação volta a aumentar - Efeito Cassandra nos alertando

O que cabe aos Cassandras?

Será que vale à pena continuar denunciando, alertando, provando, mostrando, escrevendo sobre fatos tão sóbrios e claros, ou enviando memes modernos?

Para os Cassandras o futuro é claro, mas para os troianos eleitores enfeitiçados, tudo é apenas uma conspiração. Sim porque "o seu candidato" não é isso que estão falando.

Olhe como o banco X está com ele, a fábrica Y, a religião Z, todos estão a "nosso" favor e isso prova que você, Cassandra, é um louco e está errado - sempre afirmam os enfeitiçados.

Até que ponto soa como saudável para ambas as partes continuar tentando chegar a um acordo impossível. Até que ponto, mesmo com dados e palavras mais claras do que céu de brigadeiro, vale à pena tentar convencer alguém que está enfeitiçado e nunca mudará de opinião?

Por exemplo, o movimento quase que espontâneo no final de semana passado, denominado de #EleNão, foi visto pelo mundo todo, contado pelo mundo todo, documentado pelo mundo todo, tentando mostrar seu lado.

O outro lado do #EleSim não se contrapôs como ideia, mas como "nós vamos ganhar em primeiro turno e não aceitamos outro resultado".

Se o contraditório fosse, "nós acreditamos em nosso candidato pois a plataforma econômica fará o Brasil crescer devido a ação positiva X, Y ou Z, com dados demonstrados em W, K T ou conforme as leis A, B ou C", ainda seria compreensível.

Mas ambas as partes acabam não concordando em nada e nunca concordarão em nada. Não adianta agora, nesse momento, tentar sair às ruas para tal convencimento.

As famílias estão esfaceladas pela divisão, estão enfeitiçadas (ou amaldiçoadas por Apolo) e não se entendem.

O mais racional seria seguir em "sua festa" particular e reconhecer vitórias ou derrotas. E seguir a vida.

Mas o mau exemplo da última eleição brasileira, onde os troianos A não reconheceram a vitória dos troianos B, deverá se repetir agora.

Para nossa tristeza e alegria de Apolo, o resultado não será bom.

 

Esse empobrecimento político não trará conforto após o domingo de eleição. E caso tenhamos um segundo turno, serão dias muito tensos para todos nós. A economia segue parada, o governo Temer morreu e se esqueceu de enterrar, esperando apenas para ver quem será o próximo presidente da república. Se for um correligionado seu, Temer se apressará em fazer as reformas maléficas que ainda existem para favorecer o amigo.

A troca, claro, será sua proteção contra novas investigações. Num governo decente, Temer e todos os ministros seriam presos no dia 2 de janeiro de 2019. Mas ele conta com boa proteção e está torcendo para que o vencedor lhe dê proteção. Afinal de contas ele "pagou" R$ 20 bilhões com nosso dinheiro público em emendas que nunca chegaram de verdade nas comunidades que deveriam.

Se o vencedor não for do lado da cúpula de Michel Temer, então muitas coisas vão ocorrer influenciadas por Apolo. A previsão de Cassandra direto do Oráculo de Delfos é:

A inflação vai disparar, pois vão aumentar a gasolina todos os dias para prejudicar o próximo presidente.

Os juros vão disparar, pois vão dizer que o próximo presidente não fará as mudanças necessárias.

A Bovespa vai despencar e se afundar num caos, pois vão dizer que o novo presidente não tem condições de pagar a dívida ou os títulos da dívida pública.

O dólar vai a R$ 5,00, pois dizem que o mercado está desconfiado que a crise voltou.

Os patrões vão demitir em massa para forçar o novo governo a lhe dar concessões.

Os bancos vão aumentar o spread e taxas pois, claro como sempre, vão dizer que o risco do calote dos clientes está aumentando.

Enfim, o cavalo de Tróia, ou nosso "cavalo de eleiçaõ" está em nossa sala. Ele está alí como um bode fedorento e não sabemos o que fazer com ele. Se tirarmos esse cavalo, ele já deixou seu rastro de destruição, defecou em nosso tapete, quebrou nossa honra e criou a desordem completa em nosso lar. Se deixarmos ele nossas coisas vão continuar se quebrando, não conseguiremos respirar sossegados e ainda teremos que gastar mais com esse cavalo que sempre exigirá mais sacrifício de nossa parte e menos da dele.

O que fazer?

Na hora de votar, devemos pensar que existem muitos Cassandras nos alertando dos perigos. Se alguém votar apertando o botão com o fígado ao invés da cabeça, saiba que as previsões anteriores não serão mais de Cassandra, mas a realidade que Apolo lhe escondeu.

Vote com a cabeça, não trague esse cavalo para dentro da sua casa e afaste o Apolo do mal que está sussurrando em seu ouvido!