Quinta-feira, 20 de Abril, 2017

 

O exterminador do futuro e da Bovespa

Perguntamos a um amigo hoje o que fazer quando se tem um bode na sala, daqueles bem fedorentos, mas que não quer sair? A resposta foi muito boa: Faz um churrasco!

Olhando no dia a dia as pessoas caminhando, as pessoas nos ônibus, as conversas de corredor, simplesmente todo mundo está desanimado, está estressado, sem perspectiva nenhuma de futuro nessas terras descobertas em 1500. Mas pelo que estamos vendo, era melhor que essas terras continuassem cobertas.

Se você vai a uma festa onde 90% das pessoas não gostam de você, o que se faz? Ficar sorrindo e insistir em tentar puxar conversa com alguém, ou ir embora? Claro que o gesto melhor para todas as partes é que o indesejado saia.

O governo que aí está simplesmente é um bode na sala. Está enraizado no poder, aprofundado numa crise política absurda, com ministros acusados abertamente, com rombos econômicos que a cada semana se inventa uma desculpa e nós, que estamos todos os dias no trabalho tentando nos manter motivados, temos que aguentar as mentiras mais lavadas.

Pior que as mentiras são ditas pelas redes de televisão que receberam juntas cerca de R$ 50 milhões em propagandas federais e querem a todo custo passar entre um noticiário e outro que a situação melhorou. Com se vê na notíca de hoje, não, a situação só piora. Novamente e por mais um mês o número de desempregados aumentou. A notícia de hoje é que o país perdeu mais uma vez 64 mil empregos.

E vai continuar caindo pois o governo deseja apenas cortar, cortar e cortar, sejam os cortes empregos, previdência, relações trabalhistas, investimentos em área pública entre muitos cortes ridículos. Por exemplo, a economia "porca" de R$ 100 milhões de reais por ano no "Farmácia Popular" beira a loucura sádica de um cruel sanguinário. Por que terminar com esse programa?

O programa Farmárcia Popular ajuda milhões de pessoas carentes das periferias e pequenas cidades do interior. O governo corta apenas por cortar, sem substituir ou otimizar os problemas. Se existe um corte e no seu lugar se adota um plano mais inteligente, um plano que vai atender as necessidades e ainda assim economizar, palmas para o governo. Mas cortar apenas para colocar mais um número na primeira casa decimal do PIB, é maldade pessoal.

E sem moral, sem apoio do povo, sem um mínimo de coragem para sair abertamente às ruas, o bode em nossa sala vai cortar a CLT já na semana que vem. Os políticos vão votar novas relações trabalhistas que vão destruir a única coisa que ainda garante um pouco de estabilidade no emprego. Claro que vão contar (como estão fazendo) aquelas lorotas de que vai aumentar o nível do emprego pois melhorará a relação patrão-empregado.

Não, o desemprego vai aumentar. No regime atual o empresário brasileiro sempre pensa duas vezes antes de demitir. Ele tenta buscar salvar seu negócio, inventa ofertas, inventa promoções, sai atrás de novos materiais, enfim, tenta se salvar. Sem as relações previstas na CLT o empresário nacional vai demitir no primeiro mês de contas negativas.

E como todos os empresários (com excessão dos corruptos) estão apertados, é derrubar a CLT num mês e no outro ocorrerá uma onda de demissões.

Mas fique tranquilo, caro leitor, o governo vai camuflar dados apoiado pela mídia nacional. Vão coletar sabiamente alguns dados positivos para causar estardalhaços.

Esse gráfico anterior é do Ibovespa, o índice da Bolsa de Valores de São Paulo. Coletamos os dados desde 20 de abril de 2014 até a data de hoje, dia 20 de abril de 2017. Diante de tantas previsões querendo forçar a barra para "possíveis altas" do Ibovespa, como o ministro Meirelles insiste em dizer, resolvemos novamente analisar os dados com algum grau de previsão.

Analistas erram todos os dias e Meirelles (assim como Mantega errava) erra a toda entrevista. Na verdade não erra, pega um dado positivo e "desmerece" em sua análise o contexto negativo. As reformas não afetarão em nada o mercado nacional nos próximos 3 anos. Isso tudo é para satisfazer a tal "expectativa do mercado". Essa é outra balela horroroza e desfigurante da ciência verdadeira.

Em 2011 era amplificado em todos os jornais, por analistas e pelo governo da época, que o Ibovespa chegaria a 80 mil pontos! Estamos esperando esse valor até hoje! (ler "Cadê os 80 mil pontos do Ibovespa").

E a capitalização da Petrobras? O leitor se lembra da "estória da carochinha"? Na época o governo contava com o dinheiro do FGTS dos desinformados para aumentar o capital financeiro da empresa e colocar em prática o projeto do Pré-Sal. Quem comprou na época, mesmo com um bom deságio, pagou pelas ações algo por volta de R$ 23,00. O preço beirava R$ 30,00 para cada ação enquanto hoje está em R$ 14,00.

Dissemos em nosso texto ("Capitalização da Petro: Formigueiro sem rainha") que isso não era bom para os investidores. A boca pequena os analistas sabiam disso, mas nas entrevistas lardeavam que todos teriam grandes lucros. Não veio até hoje. Será mesmo que o Ibovespa terá um ano de sucesso e com isso o Brasil sairá da crise?

Já explicamos aqui um modelo bem interessante para tentar prever valores de séries que variam no tempo e de forma aleatória.

O modelo matemático de Itô é muito interessante, conhecido como modelo estocástico.

O texto explica como o japonês Kiyoshi Itô se tornou o matemático mais famoso do Japão (ler "O belo cálculo de Itô e a hipocresia econômica").

Tomamos os dados do Ibovespa (curva azul ao lado) e rodamos o modelo de Itô com identificação dos parâmetros.

A curva em cor preta ao lado é o ajuste conseguido pelo modelo matemático de Itô.

Podemos observar que ele consegue captar a "guinada" da bolsa e chegar realativamente próximo aos dados reais de nossos dias atuais.

Outra observação importante é que, para aumentar a precisão do modelo, o Ibovespa foi padronizado, dividindo todos os dados pelo maior valor do índice.

Uma vez adaptado o modelo de Itô aos dados reais do Ibovespa, resolvemos tentar descobrir como será o nosso futuro nos próximos 100 dias.

Para tanto, primeiro medimos a variabilidade total entre os pontos estimados e os dados reais.

Com essa variabilidade, utilizamos a metodologia de Monte Carlo para criar diversos cenários (positivos e negativos) para os dados simulados.

O que temos ao lado é o resultado do modelo de Itô e diversas simulações (em cor vermelha) para os próximos 100 dias.

A linha em cor escura no centro da região vermelha é a previsão sem considerar oscilações aleatórias na estimativa.

A banda vermelha superior e inferior indicam os pontos máximos e mínimos dessas simulações numéricas em torno da estimativa inicial.

Se tudo correr conforme o modelo de Itô, é provável que o Ibovespa estará entre 52.600 pontos e 60.700 pontos em agosto desse ano. Podemos ver que existe uma tendência forte para a queda no índice, sendo que alguns pontos o Ibovespa simulado por computador chegou aos 50 mil pontos. Seria algo como 20 mil pontos abaixo do histórico valor de 69 mil que nesses 3 últimos anos foi atingido.

Por um outro estudo nosso, já colocado aqui no site ("Ibovespa poderá cair 20 mil pontos") , mostramos que temos grandes condições de ver um tombo enorme por parte do Ibovespa. Na ocasião mostramos com o IMA diário o alerta de grande crash que poderá ocorrer no Ibovespa, com o valor do IMA muito próximo ao máximo. Desde então o Ibovespa já perdeu 7 mil pontos e não retornou para o patamar recorde de 69 mil pontos.

Em outra ocasião, cerca de um mês atrás, escrevemos usando outra metodologia, que o PIB do Brasil poderá retrair 1,26%, ao contrário da tendência geral entre os analistas. Usamos séries temporais para chegar a essa conclusão, comparando com bons resultados anteriores obtidos para o PIB do ano passado (Ler "PIB de 2017 poderá cair 1,26").

Também, por outro estudo, já mostramos e estamos acertando em cheio nos últimos dois meses que a Produção Insustrial não vai melhorar, pelo contrário, vai aumentar um pouco até o fim do ano, mas despencará novamente para os primeiros meses do ano de 2018. E ao longo de 2018 a crise se aprofundará (ler "Indústria terá recessão até 2019").

Diante desses vários métodos, vários dados, varias estimativas, temos uma certeza, caro leitor: Estamos com um bode na sala!

Parece até mesmo que alguém veio do futuro para nos exterminar, colocando dia após dia baixas de ânimo, baixas de estimativas e altas falas alopradas e desconectados do que realmente vivemos. Quem estará louco? Nós ou o bode? Pensando bem, quem vai virar churrasco somos nós. O bode está vencendo.

 

 

 

Gostou do texto?

FAÇA UM DONATIVO PARA O SITE

(R$ 2,00 ; R$ 5,00 ; R$ 10,00 )