Engordando o Gado

 

Todo investidor de bolsa de valores espera remunerar seu patrimônio acima das aplicações convencionais existentes no mercado de capitais como poupança, renda fixa ou títulos públicos. Para tanto, com o objetivo de obter um retorno superior deve concordar em incorrer em um nível de risco superior às demais aplicações.


Ao adquirir ações de uma determinada empresa normalmente o investidor almeja obter seu retorno através da valorização das ações compradas e também através do recebimento de dividendos e demais proventos pagos pela empresa em questão.


Baseado no cenário acima, todo investidor de ações deve sabe que para tal proposta se concretizar será necessário um prazo determinado para maturação do seu investimento.


Mesmo que todas as técnicas e análises disponíveis sejam utilizadas na escolha da empresa e também na identificação do melhor momento para iniciar seus investimentos, não será tarefa fácil acertar todas às vezes, visto que em renda variável nada é racional ou preciso.


Existem inúmeras maneiras de se tentar reduzir os riscos envolvidos neste modelo de investimento, porém vamos neste artigo nos atentar apenas na metodologia da utilização dos derivativos como instrumento de proteção ou hedge.
Ao final apresentaremos uma pequena demonstração sobre como é vantajoso à utilização dos derivativos, mais precisamente as opções de compra de ações no controle e também na alavancagem dos investimentos em renda variável.
Definições:

Para Assaf Neto (2010, p289) derivativo é um instrumento cujo preço deriva de outro ativo subjacente do contrato. Ex: Futuros, Opções, Termo, Swap, etc.
O objetivo principal dos derivativos é o de transferir riscos entre os participantes de mercado também conhecido como hedge ou proteção. Por exemplo, ao adquirir ações no mercado à vista, o investidor corre o risco de o preço cair. Uma forma de proteger o valor do investimento contra eventual desvalorização do patrimônio é vender opções de compra desse ativo.

O hedge é uma proteção contra riscos oriundos de situações desfavoráveis que modificam os preços dos ativos possuídos, como ações, títulos commodities. Funciona como um seguro, visando reduzir ou até eliminar o risco.

Um contrato de opções dá a seu titular o direito de seu exercício, ou seja, o direito de adquirir ou vender no futuro um determinado ativo a um preço predeterminado. Não há uma obrigação do exercício da opção, somente um direito, ficando a critério do titular do contrato a decisão de negociar o ativo.


Para ter este direito, o investidor, titular da opção paga uma prêmio antecipado. Caso o titular não leve a opção para exercício ele poderá vendê-la ou deixa-la “micar”, “virar pó”, perdendo assim o prêmio pago.


Ao contrário do comprador de uma opção de compra, o vendedor ou lançador de uma opção de compra “call”’ tem uma obrigação e não um direito de entregar ao titular, ao ser exercido, o ativo alvo das opções vendidas.
Quem vende uma opção de compra à descoberto incorre em risco ilimitado, pois se o ativo se valorizar  ele terá que adquirir o ativo, alvo das opções, a mercado na data pré-estabelecida, para entregar ao titular pelo preço de exercício das opções vendidas.


Proposta para engordar o gado


Venda coberta de opções de compra
O objetivo da venda de opções coberta é obter um ganho extra em relação à carteira de ações atual.


Cuidado!
Nunca venda opções de ações a descoberto, ou seja, sem ter em sua carteira a quantidade ações equivalente às opções vendidas. O risco envolvido nesta transação é tão alto que não vale a pena ser assumido, uma vez que é ilimitado.
Como ninguém tem todo dinheiro do mundo para incorrer em risco ilimitado é aconselhável que a venda de opções seja sempre feita de forma coberta, ou seja, o lançador tem que ter em sua carteira a quantidade de ações correspondente às quantidades de opções vendidas.


Desta forma o lançador receberá o premio pelas opções vendidas e caso as ações se desvalorize ele reduzirá seu prejuízo pela perda de valor das ações com o premio recebido na venda das opções.
Vale ainda ressaltar que o lançador tem a seu favor a tendência e o tempo, pois a cada dia que passa e a data do exercício se aproxima, estando o preço das ações abaixo do preço de exercício, o premio das opções perderá valor gerando um ganho “lucro” para o lançador.


Exercício prático
Você tem uma carteira de ações com 1000 ações da Petrobras PN (Petr4) adquiridas há algum tempo atrás por 20 Reais e hoje elas estão valendo 22 Reais, ou seja, você está com um lucro de 2 Reais por ação.
  O mercado está volátil e você está com medo de devolver os 2 Reais ganhos momentaneamente, mas por outro lado também não quer ficar de fora para o caso do mercado continuar subindo.
O que você poderia fazer para evitar ou diminuir o risco envolvido nesta operação para o caso do mercado realmente cair?

Proposta 1
  Você vende as 1000 ações Petr4 e realiza o lucro já obtido. Neste caso se o mercado cair você não terá mais problemas, pois já realizou seu lucro. Porém, se o mercado continuar subindo você não vai ganhar mais nenhum centavo, pois estará fora dele.


Proposta 2
  Você mantém as 1000 ações Petr4 em carteira e ao mesmo tempo vende 1000 opções de compra da Petrobras, por exemplo, você vende 1000 opções PetrD22 recebendo, por exemplo 1,50 Reais por opção vendida neste instante.


Desta forma você continua no mercado, se a PETR4 cair até 20,50 você não terá perdido nada, pois recebeu 1,50 na venda das opções e se ela subir acima dos 22 você ainda poderá decidir até a data do exercício o que vai fazer, se recomprar as opções vendidas ou deixar ser exercido acumulando um ganho total de 3,50 nesta operação. (22 - 20 + 1,50)


Conclusões


Na operação de venda de opções coberta temos as seguintes características:

Vantagens

Desvantagens

Considerações finais

Há duas estratégias interessantes para ser usada nas operações de venda coberta de opções de compra que são: Remuneração de carteira e Operações para obtenção de taxa, que serão detalhadas nos próximos artigos.


Quer saber mais sobre as tendências do mercado sob a visão gráfica, acesse o site: www.maurimendes.com.br


Um abraço e boa semana!

 

 

 

email: Maurimendes@uol.com.br

 

COLUNA - Mauri Mendes

Engordando o Gado

 

Consultor Mauri Mendes

(Especialista em Controladoria Financeira)

APVE - EMBRAER


 

 

 

 

 

 

14-Março-2013