Desmistificando as opções de compra

 

Quando o mercado sobe, quem sobe primeiro? O papel (ativo subjacente) ou as opções de compra deste papel?

Na semana que passou (de 9 a 13/09/2013) houve um “rally” de alta nas ações da Petrobras (PETR4) e as opções de compra PETRI18 dispararam. Houve dias em que chegaram a subir mais de 500% e como conseqüência muitos comentários surgiram na Internet, muitos inclusive de maneira controversa, chamando muito nossa atenção.

Alguns diziam: As opções PETRI18 estão subindo forte, a Petrobras vai bombar!

Para começar, vamos rever alguns fundamentos importantes:

Uma opção de compra é um derivativo que dá ao seu titular (comprador) o direito e não uma obrigação de exercer está opção no seu preço de exercício, ou seja, a opção PETRI18 garante a seu titular o direto de exercê-la até a data do seu vencimento (16/09/2013), e adquirir a quantidade comprada de PETR4 pelo preço de exercício, no caso R$18 Reais.

Já o lançador (vendedor) tem a obrigação de vender os papeis pelo preço de exercício, no caso R$ 18 Reais, independente do preço do papel no mercado ao ser exercido pelo comprador.

Apenas para esclarecer, no Brasil usamos o sistema de opções tipo Americana, onde o titular tem o direito de exercer suas opções a qualquer momento até a data do vencimento das mesmas.

O preço das opções (premio) é composto pelo valor intrínseco (valor verdadeiro) e pelo valor do tempo (expectativa).

Ex: Papel subjacente PETR4, preço de mercado R$17,80, opções PETRI18, preço de exercício R$18 Reais, vencimento dia 16/09/2013, valor do premio (preço de compra) R$ 0,10 centavos, ou seja, valor intrínseco igual a ZERO (preço do papel menos preço de exercício) R$17,80 – R$18 igual a –R$0,10 centavos. Obs: Não há valor intrínseco negativo. Portanto, neste instante as opções somente tem no seu preço o valor do tempo, que neste exemplo é igual a R$0,10 centavos.

Desta forma, toda vez que os papeis da Petrobras (PETR4) superavam a barreira dos R$18 Reais as opções PETRI18 subiam rapidamente, pois passavam a ter além do valor do tempo (expectativa) também o valor intrínseco (valor real).
Ex: PETR4 a R$18,20 – PETRI18 R$0,30 centavos, PETR4 R$18,50 – PETRI18 R$0,60 centavos.

Observe que nesta semana para cada variação positiva de 1% no preço do papel havia um aumento de mais de 200% no preço das opções, principalmente devido à proximidade da data de vencimento.

Voltando a nossa questão, se as opções são derivativos, significa dizer que elas derivam de alguma coisa, ou seja, no caso as opções de compra PETRI18 derivam do ativo subjacente PETR4 (Petrobras PN).

Então, porque muitos investidores acham que as opções se movimentam na frente dos papeis adjacentes?

Matematicamente, a explicação acima resolve a questão, porém o que poucos sabem é que os investidores (especuladores) na maioria das vezes são os mesmos, portanto, se um grande player (corretora) recebe grandes ordens de compra do papel, o que conseqüentemente fará com que os preços do papel subam, no mesmo instante esta corretora começa também a comprar as opções ganhando assim nas duas pontas.

Por outro lado, o inverso também é verdade. Ou seja, se um determinado player recebe ordens de venda do papel, a dica então é sair vendendo as opções se antecipando ao movimento até que as coisas se acalmem e seus preços sejam ajustados para seus valores teóricos.

Finalizando, quem se movimenta primeiro são os papeis e as opções se acomodam no seu valor justo ou teórico. Neste caso, a volatilidade do papel é quem causa toda está euforia, dando a sensação de que às vezes as opções se movimentam na frente.

Normalmente estes fenômenos frenéticos ocorrem na semana que antecede o vencimento das opções, pois os fatores volatilidade, ganância e medo se confrontam o tempo todo.


Um abraço e bons negócios!


Mauri Mendes

 

 

 

 

email: Maurimendes@uol.com.br

 

COLUNA - Mauri Mendes

Desmistificando as opções de compra

 

Consultor Mauri Mendes

(Especialista em Controladoria Financeira)

APVE - EMBRAER


 

 

 

 

 

 

18-Setembro-2013