Sábado, 17 de Março, 2018

 

O mundo ficou menor

 

Existem muitas tentativas de explicações sobre a morte. As religiões tem suas explicações, os ateus tem suas explicações, os cientistas tem as suas e os amantes as suas. Em todas elas algo em comum: ninguém sabe realmente o que vem a ser o fenômeno da morte. Paralisação do cérebro, curto-circuito dos neurônios, fim de uma jornada na Terra, partida para outras vidas, enfim, em todos os prounciamentos, mesmo aqueles que se dizem "certos" do que seja a morte, quando ela chega também lhes causa dúvida.

O Universo um dia foi criado, o Universo se expandiu e evoluiu, e um dia vai morrer. E depois? O que acontece depois que o Universo deixa de existir? Não existe resposta nem para essa pergunta, muito menos para a pergunta sobre o que existia "antes" do Universo existir. Para os religiosos foi criação de Deus. Para cientistas, uma grande explosão, o Big Bang.

Na semana que passou o mundo ficou muito sem graça. Mais sem graça do que já vinha ficando. A morte de Stephen Hawking deixou a ciência sem seu maior divulgador, seu maior "marqueteiro", sem uma referência sólida que misturava matemática com sarcasmos. Ele aproveitava sua condição de doença extrema para se divertir, ou para constrager o mundo dos hipócritas e mostrar que vida é cérebro. Enquanto cérebro vive, seu corpo ama, seu corpo anda, sua interação com os outros lhe tornam tristes ou felizes.

Hawking não morreu. Pelo menos no sentido de vida sobre continuarmos a falar dele por muitos séculos. Galileu não morreu, Newton não morreu, Gauss não morreu, Feynman não morreu, Einstein não morreu como tantos outros que deixaram seu legado não morreram. Talvez o propósito da vida seja nós virmos para cá, sejamos o que for, e deixarmos algo plantado.

Ler a tese de doutorado de Hawking de 1965 é conversar com ele. Entender seus acertos e erros nas operações matemáticas nos mostra que ele era humano, um humano que trabalhava mais com o cérebro, mas que tinha acertos e erros. É natural aqueles que ficam nesse mundo (se é que existam outros mundos) enaltecer quem parte. Ou então, seus inimigos o criticar. E Hawking merece mesmo ser tratado como grande, se não for pela ciência, pelo menos pela sua batalha para viver na ciência.

Talvez já prevendo sua morte, Hawking escreveu para a biblioteca de Cambridge e pediu para liberar gratuitamente para quem desejar, para qualquer pessoa, sua tese de doutorado. Nada de direito autoral para sua tese de 1965. Ele escreveu que não se poderia privar pessoas do conhecimento por conta de uma condição financeira.

Esse ato de liberar os direitos autorais só fez Hawking crescer ainda mais como ser humano, ampliando seu grau de humanidade para que o conhecimento seja irrestrito. Por exemplo, para quem desejar ler o "Principia" de Isaac Newton, tem que pagar e comprar o livro. E até os dias de hoje, quase 400 anos, o livro de Newton é muito caro.

Ao baixar a tese de Hawking, 99,9% das pessoas não vão entender o que ele escreveu. Mas folhear sua tese é passear por discussões que em 1965 seria uma provocação, uma loucura incontrolável.

Mesmo não sabendo nada de teoria da evolução do Universo, pessoas que tiveram algum grau de instrução razoável no ensino médio (ensino secundário) poderá encontrar fórmulas que vão lhe remeter a infância. Vemos hoje muita gente criticar ciência básica, achar que é disperdício de dinheiro e tentar expor que o melhor para o mundo é ser "empreendedor" do que aprender matemática.

Muitas vezes aparece em reportagem, críticas sobre a "modernidade do ensino", sobre o por que de ensinar Trigonometria, por que ensinar esse negócio de Matrizes, Determinantes, Raízes, Equações? Temos que "sair do abstrato", dizemo outros. É muito "cansativo" e "desmotivante" para as crianças, retrucam muitos.

Essa equação a seguir mostra como seria a forma do Universo, segundo um tipo de métrica.

Equação para descrever a métrica sobre a forma do Universo

 

O nosso grifo destaca a função Seno da matemática. Sim, existe na evolução, na forma do Universo, muita trigonometria básica, muita relação de curvatura entre espaço e tempo. Mas pra que isso? Vou ganhar dinheiro com isso?

Sim, vai.

Ao entender essa relação, ao saber um pouco como o Universo evolui, você poderá ser um empreendedor e construir diversos radiotelescópios e vender para governos que investem em ciência (esqueça o Brasil, aqui ciência não é prioridade). Empresas internacionais estão ganhando bilhões de dólares com radiotelescópios, com redes de telescópios gigantes para medir a evolução do Universo, para fotografar buracos negros estudados por Hawking.

Para ser mais exato, a comunidade ciêntífica internacional já gastou cerca de 1,4 bilhões de dolares só nas montanhas do Chile, buscando cada vez mais empresas de alta tecnologia que produzam telescópios super-evoluídos para buscar exoplanetas, buracos negros e testar tudo o que Hawking escreveu, inclusive seu "Seno", "Cosseno" da fórmula anterior.

 

Ultima geração de telescópios

 

Na Europa, a construção do maior acelerador de partículas do mundo, o Large Hadron Collider (LHC) usou um anel circular de 27 km para testar uma das equações de Hawking e tentar achar a "partícula de deus", criar micro buracos negros e outros resultados advindo, sobretudo, da solução da equação acima.

Fábricas de Imãs tiveram que criar 1.232 imãs gigantes, fábricas de condutores tiveram que construir para vender 35 toneladas, empresas contrataram milhares de funcionários para fornecer equipamentos elétricos como voltímetros, resistores, fios, tomadas, outras empres materiais de construção, cimento, areia, pedras, enfim, se gastou mais com o LHC do que muitos orçamentos de países.

LHC - CERN na Europa

O custo de tudo isso? Só com o LHC foram 6 bilhões de dolares. Desperdício? Só Michel Temer gastou mais do que isso na liberação das emendas no ano passado (2017) para se livrar do processo de impeachment. Sim, o governo gastou mais com uma única pessoa acusada de crime, do que o maior e mais importante laboratório de pesquisas do mundo.

Em outra passagem na tese de Hawking verifica-se o uso intenso de matrizes. Sim, matrizes, determinantes, regras para encontrar o determinante, etc. Inútil?

Para nossos gestores de educação sim, pois a maioria das escolas não dão mais importância (só no Brasil, claro) para a álgebra matricial.

"É perda de tempo". "Não cai nos vestibulares". "Não cai no Enem".

Essas são as respostas mais ridículas, primeiras vindas do Ministério da Educação, depois dos Cursinhos, e por fim, dos alunos brasileiros.

Só a equação ao lado com uma matriz de tensores, fez a Nasa e ESA (Ag. Espacial Européia) gastarem outros bilhões de dólares em satélites específicos. É que essa equação, descreve a tensão na forma do Universo.

Essa matriz, está na parte que descreve como o Universo é perturbado por Ondas Gravitacionais.

E essas Ondas Gravitacionais foram descobertas há apenas dois anos, e vão render Prêmio Nobel em Física para seus cientistas.

Captou?

Enquanto isso, no Brasil, estamos nesse buraco negro de achar que ensino disso ou daquilo deve ser mais voltado para fábricas, para "empreendedores".

Empreendedorismo deve ser resultado, consequência de muito estudo básico, e não definição para focar ensino apenas em dinheiro imediato.

 

 

 

 

Vereadora Marielle Franco assassinada no Rio de Janeiro

 

Mas nós sabemos mais de buraco negro do que Hawking. Nós vivemos nesse buraco negro chamado Brasil. Nosso poço de atraso, onde nem mesmo a luz consegue sair.

Nos últimos dois anos o mundo esqueceu do Brasil. Nem mesmo mais fazemos parte da letra "B" dos BRICS. A quadrilha que comanda o país, conseguiu provar o que existe num buraco negro melhor do que Stephen Hawcking.

Direitos de trabalho foram sonegados, direitos de educação, direitos a saúde, todos foram sonegados, abstraídos da população pela PEC da maldade de Temer, o presidente da mala, que cortou volumes gigantes de dinheiro para investimento público.

Fármácia Popular não existe mais, e mesmo nas farmáricas particulares o prorgrama está quase extinto. Verbas para a Ciência foram cortadas.

Nosso satélite mais recente, pago com dinheiro público de nossos impostos caros, acaba de ser repassado para indústrias dos EUA que repassarão nossos dados para o governo dos EUA.

Nossa base de lançamento está sendo negociada com os EUA, onde uma cláusula proíbe até mesmo os militares do Brasil de entrar nela em mês de lançamentos dos americanos.

E o fundo do buraco foi nessa semana, deixando nosso mundo mais para "mundinho" do que para Universo, no assassinato covarde da vereadora do Rio Marielle Franco.

Não contente com o assassinato, não somente da pessoa, mas de suas ideias, por contradizer militares e governo federal corruptos, boatos se instauraram na internet sobre atos que poderiam denegrir a jovem morta.


Coronéis da polícia, promotores públicos, enfim, uma corrente de extrema direita que se acha a "luz" de razão do universo, compuseram a internet de um monte de barbáries tão cruéis quanto o ato do assassinato.

É claro que as investigações não chegarão aos verdadeiros mandantes dos assassinos. Poderão até descobrir os atiradores, mas os mandantes são os poderosos de todo o sempre, nesse universo de buraco negro chamado Brasil.

Você pode não concordar com as ideias e deve debatê-las sempre. As ideias são para serem confrontadas, onde mesmo Hawking enfrentou resistências às suas proposições. Ou todo mundo acha que quando ele propôs que a mecânica quântica explicava que luz produzida no calor termal poderia sair de um buraco negro foi aceita de imediata?

Claro que não!

O mesmo ocorre com as ideias e ideais da vereadora assassinada. Ela representava uma comunidade, ela combatia os maus policiais, ela combatia os setores corruptos do governo. Mas sem argumentos, os covardes do poder a mataram pelas costas. Assim como fizeram com jornalistas nos anso 60 e 70, assim como expulsaram cantores, como oprimiram escritores e assim como bateram em professores.

Professores esses, que novamente apanharam da polícia do prefeito de São Paulo, João Dória. A mesma polícia municipal que ganha mal, que deixa seus filhos para aqueles em que eles bateram cuidem, ensinem e mostrem a diferença entre o certo e errado.

Hawking estava errado.

O Universo não evoluiu, pelo menos não nessa semana. Mostrando que o Brasil é o fundo do buraco negro e esse nosso mundo ficou ainda menor.