Quinta-feira, 04 de Fevereiro, 2016

 

Usiminas em alta?

A palavra "crise" virou um jargão e padrão no dicionário brasileiro. Qualquer um que seja demitido, sai correndo para dizer que foi devido à crise na economia brasileira. Mas será que ninguém mais é demitido por incompetência, por briga, por vadiagem em horário de serviço? Esses são sempre os "dispensáveis" de qualquer atividade. Claro que existe uma crise econômica no Brasil, claro que a economia precisa melhorar muito, mas não dá para tomar qualquer revés e sair correndo julgando que é devido a crise.

Ao colocar no "Google Trends" os termos mais procurados no Brasil, achamos que o pico da palavra "crise" foi em setembro de 2015 e depois começou a arrefecer. O gráfico mensal do google pode ser consultado por qualquer pessoa e é apresentado a seguir.

Quantidades de busca no Google da palvra "crise"

Mas se existe uma empresa que realmente sofreu e está sofrendo com a crise é a siderúrgica Usiminas, como todo o setor setor de siderurgia. A Usiminas, que já foi a vedete da Bovespa, começou cair forte há muitos anos atrás com uma briga interna entre os grandes acionistas pelo controle da empresa. E quando tudo parecia resolvido, a crise apertou no Brasil e os EUA embargaram vários produtos, inclusive o aço brasileiro. Bastou isso para a empresa realmente sofrer de verdade com a palavra "crise".

O gráfico a seguir apresenta o histórico do valor das ações da empresa diariamente, de dois atrás até o dia de hoje, para a USIM5, ação preferencial.

Histórico da Usim5 de dois anos atrás até fevereiro de 2016

A ação Usim5 que valia R$ 12,00 em 2014 foi negociada semana passada a R$ 0,83, uma queda de 93% em dois anos. Dá para imaginar o desânimo dos acionistas dessa grande e representativa empresa. Em novembro do ano passado a empresa soltou um comunicado que iria fechar os fornos de Cubatão e demitir cerca de 4 mil funcionários (ver aqui).

Mais uma batalha se organizou, acordos foram negociados, protestos e tudo isso não resultou em sucesso para os empregados que realmente foram demitidos em 31 de janeiro desse ano. No dia 8 de janeiro desse ano, após 5 horas de reunião com o Ministério do Trabalho, a empresa manteve o total de cortes (ver aqui).

A homologação dos primeiros 800 demitidos foi ontem, 3 de Fevereiro, e novas homologações vão continuar após o Carnaval no dia 12 de fevereiro (ver aqui).

A alegação da empresa, em especial do seu presidente Rômel de Souza com 40 anos de empresa, foi para estancar o prejuízo sem precedente de R$ 1 bilhão (ler aqui).

Segundo relatório da Usiminas:

"As medidas mais urgentes são: negociação dos covenants (cláusulas de contratos de dívida) com os credores e refinanciamentos de vencimentos, com quatro a seis grandes bancos, nos próximos anos. Somente em 2016, a empresa tem pagamentos de R$ 1,7 bilhão".

Unidade da Usiminas em Cubatão fechada

Histórico da Usim5 nos últimos cinco dias - Forte valorização

 

 

 

 

Gráfico da Entropia da USIM5 desde 18/01/2016

No mundo há hoje uma estimativa de cerca de 770 milhões de toneladas aço em excesso. Com severas críticas à importação de aço da América Latina por parte da China, os EUA aplicaram regras antidumping nas exportações da Usiminas dentro dos EUA.

Com essa aplicação, travando as exportações da empresa, praticamente ficou inviável para a siderúrgica exportar para os EUA. Com isso, a empresa olha para a Europa e pretende aumentar as vendas para a China.

Mas como os EUA respondiam por forte volume de importação, as ações paliativas não conseguem reverter o forte endividamento.

E de tudo isso, era de se esperar que as ações não parassem de cair, ou no jargão maldoso no mercado, "derreter". Sim, era esperado um derretimento no valor das ações. Teoricamente sim, mas na prática tudo está revertendo.

Já tem duas semanas, que após atingir o valor de R$0,83 as ações da empresa tem forte valorização. Conforme mostra o gráfico ao lado, nos últimos cinco dias as ações saíram de R$0,86 para R$ 1,04.

O retorno positivo foi de 20%, em apenas cinco dias!

Quem observar o histórico da Gerdau (GGBR4) vai perceber que a ação também já valorizou 19% em cinco dias.

Fizemos então uma busca na Entropia na ação da Usiminas (USIM5). Conforme nosso texto "Trading com Entropia vencedora", essa medida (Entropia) serve para alertar algo sobre o conjunto de dados que está com informação nova e relevante ainda não revelada.

Empresas da Europa, por exemplo, usam essa medida de Entropia para verificar vazamento de informações dos funcionários, vazamento de dados, informações escondidas das empresas, corrupções, enfim, tudo que pode fazer os dados dispararem sem motivo aparente.

O gráfico ao lado apresenta a medida de Entropia da Usim5 desde 18 de janeiro de 2016 até hoje, 4 de fevereiro. Em vermelho marcado no eixo vertical à direita é a Entropia e em cor preta o preço da ação, marcado no eixo vertical à esquerda (em reais).

Segundo os estudos acadêmicos e de artigos ligados a essa medida, valores abaixo de uma medida de Entropia (em nosso estudo tomamos como 0,8) mostram reversão urgente, caracterizando que "algo novo" está ocorrendo com os dados.

É possível observar no gráfico, a linha tracejada indicando o limite mímino do limiar da "nova notícia". Então, abaixo desse valor, algo de novo existe para os dados, ainda não conhecido do público em geral. Algo que ainda será divulgado. É possível reparar nesses dados (curva em vermelho), onde uma seta está indicando uma reversão no preço (curva em cor preta), que algo de novo está acontecendo com a empresa.

Exatamente quando a Entropia cai forte abaixo de 0,8 (curva vermelha), na primeira vez ocorreu um crash nos dados. A segunda vez que a Entropia atingiu esse valor mínimo, um super rally começou no preço das ações. Então... o que está ocorrendo? Por que as ações estão subindo rápido?

Talvez os investidores de grande porte estão satisfeitos com as atitudes da siderúrgica, e pelos dados financeiros estão revelando uma empresa mais enxuta, mais saudável e com grandes chances de valorização.

Também esses acionistas podem ter informação de que os EUA estão pensando em retirar o embargo sobre o tipo de produto que a Usiminas exporta.

Ou ainda, quem sabe, a empresa poderá estar em processo de venda. Talvez uma outra grande siderúrgica está em conversa para comprar a Usiminas, e todas essas demissões são plano de médio prazo para uma venda. Não dá para ter certeza de nada, e a Entropia apenas nos indica uma forte reversão anormal no conjunto de dados.

Por enquanto, até o cenário ficar mais claro, o que temos é apenas no campo do "SE" e do "TALVEZ", visto que a Entropia diz que algo mudou, mas não quem mudou, ou porque mudou. De tudo o que resta, é mais um talvez.

Talvez seja um bom investimento comprar essa ação que está muito barata, ou ,.... talvez não. Vamos esperar para ver o futuro.

 

Gostou do texto?

FAÇA UM DONATIVO PARA O SITE

(R$ 2,00 ; R$ 5,00 ; R$ 10,00 )